sábado, 30 de abril de 2016

Domesticar as ruínas do tempo

Esta foi uma sessão da qual obtivemos frutos fantásticos e, como tal, podem ter a certeza que não será esta a última publicação. Guardei o melhor para o fim e vou obrigar-vos a esperar, mas sabem que "tudo vale a pena, se a alma não é pequena!" Entretanto, podem começar por rever as fotografias analógicas com a Yashica aqui e por visitar a página desta menina simpática no facebook. Da sessão completa, que podem ver mais abaixo, escolhi começar com estas duas em dualidade frio/quente. Conseguem sentir o olhar dela a entrar-vos pela alma? É arrepiante, eu sei!


Para esta sessão, afastámo-nos um pouco de Lisboa até Cabeço de Montachique, onde se situa um miradouro fantástico e o Sanatório Grandella (ou Albergaria) que nunca chegou a ser mais do que um esboço. Apanhámos com a luz do final da tarde e um vento cortante que obrigou ao encurtar da sessão para conforto de todos os envolvidos, mas no fim de contas obtivémos resultados muito agradáveis. Deixo-vos com uma última imagem em contra-luz e tons suaves para vos incentivar a conferir a galeria completa.