segunda-feira, 7 de março de 2016

Pela baixa de Lisboa com a Yashica a preto e branco

Como já devem ter reparado, tenho uma certa tendência para fotografar num ambiente natural. A verdade é que pouco gosto de fotografia de estúdio ou dentro de paredes. Não há nada como uma boa luz natural para capturar e fazer salientar o melhor que os tons humanos podem dar. Contudo, nada disto é proibitivo de inovar e, como tal, desta vez, trago-vos um pouco das ruas da Baixa Pombalina.


Estas são fotografias quadradas e a preto e branco. Sim, são pistas bastante reveladoras de que esta sessão foi capturada em filme Kodak T-Max 400 com a minha Yashica D e revelado/digitalizado em casa. Tenho de admitir que foi a primeira vez que gostei de todas as fotografias queimadas no rolo de médio formato com capacidade para 12.


Um imenso obrigado à I. que se disponibilizou para me aturar por mais uma tarde a encontrar paredes bonitas nas ruas que se escapam da Avenida da Liberdade como afluentes de um rio. Acho que não podia ter corrido melhor, mesmo que para isso me preparasse muito! Espero que esta pequena amostra instigue a curiosidade para ver a sessão completa.